A Medicina Ortomolecular feita da maneira certa!

terça-feira, 24 de maio de 2016

Confira meus telefones de atendimento!

Já anotou os telefones do meu consultório no Rio de Janeiro? Aproveite e marque a sua consulta!
Meu consultório fica na Rua Senador Rui Carneiro, 301 - cobertura 302, Recreio.

Telefones: 
(21) 2480-8075 e 2490-0293


Medicina Ortomolecular: minhas dicas na revista Beleza Chic!

O portal Beleza Chic virou revista impressa, com circulação por todo o Rio de Janeiro, e eu também estou participando da publicação com uma matéria sobre a importância das vitaminas e minerais para o emagrecimento saudável! Tudo de acordo com a Medicina Ortomolecular, que ajuda a equilibrar o organismo para que você chegue ao peso ideal. Clique na matéria abaixo para ampliar e confira:


Leia a matéria da revista abaixo:

Emagrecer com saúde
Médica ortomolecular Luciana Granja explica a importância das vitaminas e dos sais minerais para um emagrecimento saudável

Já experimentou digitar a palavra “Emagrecer” em seu site de busca? É impressionante os milhares de resultados que aparecem. Sim, a busca pelo emagrecimento virou uma grande corrida pelo pote de ouro. Todos querem, mas a que preço? É preciso pensar que, antes de começar essa busca, um outro fator deve ser levado em consideração: a qualidade de vida. E emagrecer com saúde tem sido o ponto chave nas conversas entre especialistas e pacientes. Para isso, muito se tem estudado a importância das vitaminas e sais minerais nesse processo de perda e manutenção do peso.

As vitaminas e os sais minerais são micronutrientes essenciais para o nosso organismo funcionar bem e de forma adequada. Por isso, devem ser consumidos regularmente, já que os mesmos além de tornar o nosso corpo saudável também podem ser de grande ajuda no momento de perder os quilinhos extras, por estarem envolvidos em diferentes processos metabólicos que estão diretamente relacionadas ao controle de peso. A vitamina C e o completo de vitamina B, por exemplo, ajudam na combustão de gordura, por apresentarem antioxidantes. Elas agem em nível celular (melhoria da respiração da célula), aumentando a oxidação de gorduras. Já os minerais como zinco, magnésio, manganês, cobre e selênio permitem a perda e o controle do peso e ainda favorecem a utilização de gordura para o gasto de energia.

Segundo estudos recentes, esses nutrientes presentes em frutas, verduras, legumes, leites e carnes – quando consumidos nas quantidades recomendadas - são suficientes para fornecer todos os nutrientes que nosso corpo necessita. Eles são obtidos naturalmente se a dieta é balanceada e de baixa caloria através de uma alimentação variada e colorida. A ingestão de suplementos de vitaminas e minerais associado à uma boa alimentação e prática regular de atividade física também ajudam no emagrecimento saudável, lembrando que devem ser prescritos e acompanhados por um médico.

Por Dra. Luciana Granja: Médica com especialização em pediatria e cardio-pediatria, e Medicina ortomolecular, ciência que restabelece o equilíbrio químico do organismo. Comanda sua própria clínica, na Barra da Tijuca, com foco em tratamentos ortomoleculares, que emagrecem de uma forma saudável por meio de um equilíbrio de vitaminas e minerais.

Rua senador Rui Carneiro, 301 Sala 201 Cob. 302 – Recreio
Tel.: 2480-8075 | 2490-0293

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Minhas dicas sobre glúten e lactose no site Alto Astral

O site da revista Alto Astral publicou uma matéria sobre o glúten e a lactose, e a sua relação com a dieta, e eu participei dando algumas dicas. Clique na imagem abaixo e confira a matéria:


Leia abaixo um trecho da matéria com as minhas aspas:

A reeducação alimentar aliada à prática de atividades físicas regular é a fórmula ideal para ver os ponteiros da balança baixarem. Entretanto, existe muita gente que prefere optar por dietas restritivas que, além de não eficientes, podem causar a deficiência de nutrientes indispensáveis para a saúde.

Dietas que têm como objetivo perder peso retirando o glúten e a lactose do cardápio prometem funcionar, entretanto, não existem comprovações científicas que garantam esse fato. O que acontece, na verdade, é uma redução do consumo dos alimentos calóricos e, portanto, o emagrecimento não se dá pela retirada da substância em si, mas sim, pelo fato de esses ingredientes serem evitados. No caso da lactose, o que acaba saindo do cardápio são iogurtes açucarados, queijos amarelos, cremes à base de leite, leite condensado, leite integral e outras opções repletas de calorias. Já no caso do glúten, a falta de alimentos à base de farinha branca, como pão francês, pizza, baguete, sonhos de padaria, farofa e salgados em geral contribuem para o emagrecimento.

Em algumas dietas que objetivam o emagrecimento, a retirada do glúten e da lactose são recomendadas mesmo para pessoas que não possuem a doença celíaca e nem intolerância à lactose. No entanto, é preciso estar atento a esse tipo de alimentação, já que o organismo tende a sair prejudicado. “Pode-se fazer a retirada por um determinado período e depois reintroduzir na dieta. A avaliação profissional para os objetivos, ou possíveis sintomas, é fundamental para o consumo ou o corte do glúten”, explica a médica ortomolecular Luciana Granja.

Fonte: Alto Astral (com minha consultoria)

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Salgado maromba: benefícios e receita

Quando o assunto é boa forma, as novidades não param de surgir. A bola da vez é o "salgado maromba", que virou uma febre entre os fanáticos por malhação e nada mais é do que uma maneira mais saborosa de ingerir proteína nos lanches intermediários (que não substituem o almoço ou jantar, por exemplo).



O salgado é rico em proteína e não leva farinha de trigo, por isso virou uma excelente opção. A massa, geralmente feita com legumes, também dá aquela ajudinha na hora de comer vegetais, já que nem todos costumam consumir legumes e verduras na alimentação diária. Confira abaixo a minha sugestão de receita e experimente em casa!

Massa de batata doce
Receita elaborada pela médica ortomolecular Luciana Granja


Ingredientes:
100 g de frango (cozido ou grelhado) 
50 g de batata doce (cozida) 
1 colher de sopa de aveia 
Recheio de sua sua preferência
Gema para pincelar
Orégano 

Modo de preparo:
Bata o frango, a batata e a aveia no liquidificador ou processador. Em seguida, adicione 2 colheres de sopa de água. Quando formar um patê, leve ao congelador por pouco tempo (apenas para facilitar a modelagem. Não deixe congelar!). Faça os bolinhos, pincele a gema na parte de cima e coloque um pouco de orégano. Leve ao forno quente 280 graus por 20 minutos. Coloque numa forma antiaderente e não unte. Recheie com creme de ricota, tomate, atum, couve, frango, brócolis, abóbora, entre outras opções.



Fonte: My Taste

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Veja os erros mais comuns que você comete no café da manhã



Ao contrário do que muitos pensam, pesquisas revelam que acordar e ficar muito tempo em jejum não emagrece, pois pode deixar você com mais fome ao longo do dia. Após estudos, uma lista com os cinco erros que as pessoas mais cometem no desjejum foi divulgada. Confira e veja se algum deles faz parte da sua rotina:

Comer pouca proteína

Para muitas, uma tigela de leite com cereal parece uma boa dose de proteínas. Porém, por tomar o líquido a colheradas, a digestão será muito lenta, causando a sensação de fome antes do esperado. Para evitar o problema, é indicado turbinar o café da manhã com um ovo cozido ou torradas bem cobertas por manteiga de amendoim.

Café da manhã pobre em fibras

Quanto mais açúcar o seu café da manhã tem, mais rápida será a digestão e mais cedo você vai sentir fome. Por isso é que deixar as fibras de fora do desjejum é um erro tão comum. Para evitá-lo, prefira pães e cereais integrais, que demoram mais para serem digeridos. A dica é que a refeição tenha ao menos cinco gramas de fibras. Você também pode adicionar chia ou sementes de linhaça trituradas ao alimento para conquistar a porção de fibras adequada.

Desjejum sem gordura

Dieta é sinônimo de tirar a gordura do cardápio, certo? Nem sempre. Segundo o estudo, um dos erros do café da manhã é tirar toda a gordura da refeição, o que pode fazer com que a fome apareça mais cedo. Para evitar isso, adicione porções de gordura boa, como nozes e castanhas, em quantidades moderadas.

Comer pouco

Comer pouco também não é a melhor forma de quebrar o jejum. Uma fruta, por exemplo, apesar de ser rica em fibras, vitaminas e minerais, logo vai deixar você com fome. O ideal é comer pelo menos 300 ou 400 calorias na primeira refeição do dia.

Café da manhã muito tarde

Se você conta como café da manhã aquele lanche que você come depois de chegar ao trabalho e ter feito várias coisas, saiba que ele também é um erro. O desjejum deve ser feito até uma hora depois de acordar, porque quanto mais tempo uma pessoa espera para comer, mais difícil será de ela se sentir saciada. O resultado então será a ingestão de um número maior de calorias do que seria necessário.


Fonte: Boa Forma

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Chás termogênicos ajudam a emagrecer. Saiba preparar e incluir na rotina


Um corpo enxuto, livre dos quilinhos extras que teimam em aparecer na silhueta, é um objetivo comum na vida das mulheres. No frio, é possível alcançar essa meta e, de quebra, ainda ficar bem quentinha. Como?  Bebendo os chás certos, que além de dar uma mãozinha na imunidade, também são potentes aliados na aceleração do metabolismo e no emagrecimento. 

“Para acelerar o metabolismo e favorecer o emagrecimento, um dos segredos é tomar chá diariamente. Ingerir as infusões é sim eficiente, contanto que sejam usadas na medida certa. Aliadas a uma alimentação correta eles podem ajudar bastante, mas atenção! O chá não faz efeito sozinho, e deve ser aliado a uma boa alimentação.

Três ervas são ótimas opções para o emagrecimento. A Citrus aurantium, conhecida como laranja amarga, que é uma fruta bem amarga, tem uma ação similar a efedrina e age estimulando a quebra de gordura. A Garcinia cambogia, que inibe a formação de gordura, e o chá verde, que aumenta o gasto de energia e a oxidação das gorduras.

Além das três, invista nas ervas de efeito termogênico, como o branco e vermelho (Camellia sinensis), fucus e hibisco. Para fazer efeito, o ideal é tomar, durante duas semanas, de 500 ml a um litro por dia, nos intervalos entre as refeições principais. 

A maneira de fazer a infusão é indispensável para o resultado. O jeito certo de preparo é ferver a água sem as ervas. Quando levantar fervura, desligue o fogo e acrescente as folhas, abafando com uma tampa por aproximadamente 10 minutos. Ao final, basta coar e servir ou, ainda, gelar nos dias mais quentes. Lembre-se de sempre tomar o preparado no dia. Se o gosto amargo não agradar, dá para associar com chás como o de camomila e erva doce. Mas o açúcar deve ser no máximo mascavo e em pouquíssima quantidade.

Apesar da mistura de mais de um chá para emagrecer ser interessante, não devem ser combinadas muitas ervas, pois podem entrar em conflito e atrapalhar o resultado. É preciso também tomar cuidado a ingestão demasiada de chá verde e da laranja amarga, que aumentam muito o batimento cardíaco. E depois da ingestão por duas semanas, modere na dose, pois prolongar esse tipo de hábito a longo prazo pode trazer efeitos adversos, como um prejuízo na absorção de diversos nutrientes pelo organismo. 


Fonte: Daqui Dali

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Sucos campeões em vitamina C


Para passar o inverno sem gripes e resfriados, um dos melhores arsenais para reforçar o seu sistema imunológico são os sucos ricos em vitamina C. Os sucos são uma ótima opção, pois hidratam (o que é importantíssimo em todas as estações, inclusive no inverno), nutrem e oferecem vitaminas e sais minerais necessários para manter o corpo saudável e forte. Veja a seguir algumas dicas sobre as frutas com grande concentração de vitaminas importantes para o inverno:

Limão - A bebida é diurética e diminui a retenção hídrica e o inchaço. Para completar, auxilia a digestão e tem vitamina C. Além disso, o limão é rico em ácido cítrico, que tem ação adstringente, ou seja, ajuda a dissolver gorduras e toxinas, e deixa o pH do sangue e de outros líquidos menos ácidos, contribuindo para o funcionamento do metabolismo.

Romã - uma das melhores frutas da estação com grande concentração de ferro, antioxidantes, fitoquímicos, polifenóis e vitamina C. São ricas em fibras que ajudam a combater doenças cardiovasculares, protegem nosso organismo de radicais livres nocivos, ajudando a prevenir doenças como o câncer, e são indicadas para pacientes anêmicos.

Cranberry - uma frutinha vermelha que está ganhando espaço nos cardápios nacionais por ser rica fonte em vitamina C. Originária de regiões com baixíssimas temperaturas, como Chile e Estados Unidos, só é encontrada in natura aqui no Brasil, por isso a ingestão do suco da fruta é a forma mais popular de consumo entre os brasileiros. O suco contém vitaminas C, A e E além da grande capacidade antioxidante. Sabe-se, inclusive, que o suco de cranberry possui concentração de vitamina C três vezes superior a da laranja.

Caju - A fruta tem vitamina C de sobra, que é um poderoso antioxidante, combatendo os radicais livres. Pesquisas mostram que a presença de compostos fenólicos ajudam até a prevenir doenças cardíacas. Entre os minerais, ferro e cálcio têm destaque, melhorando a saúde dos ossos.

Confira uma receita de suco rico em Vitamina C:

Suco de Pêra, Abacaxi e Laranja

A pêra possui doses consideráveis de sais minerais como potássio, sódio, cálcio e fósforo. Vitamina C, provitamina A e vitaminas do complexo B também aparecem nessa fruta. Já o abacaxi, rica fonte de vitamina C, ajuda a dar uma força na digestão. E a laranja, fonte de vitamina C e ácido fólico, também é rica em cálcio, fósforo e potássio.

  • 50 g de pêra com casca
  • 100 g de abacaxi descascado
  • 300 ml de suco de laranja

Descasque o abacaxi e pique-o em pedaços. Coloque-o no liquidificador com a pêra picada e o suco de laranja e bata bem. Sirva num copo grande, sem coar, acompanhado de canudo.



Fonte: Vila Mulher

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Sementes de abóbora saciam a fome e fazem bem ao coração


No meio da tarde, sempre bate uma vontade de beliscar alguma coisa e as sementes de abóbora são ideais para estes momentos. Estas sementes oleaginosas são boas fontes de vitaminas, minerais, fibras e gorduras do bem, e, por isso, ajudam a saciar a fome enquanto trazem diversos benefícios para o organismo.

As sementes de abóbora são ricas ômega 3 e 9, ácidos graxos mono insaturados, que ajudam a controlar os níveis de colesterol no sangue e previnem doenças cardiovasculares.

Benefícios da semente de abóbora

Uma substância chamada cucurbitacina está presente nas sementes de abóbora e transforma o fruto em um vermífugo natural, que pode ser utilizado em adultos e acrianças.

As sementes também possuem alto teor de fibras, fundamentais para o bom funcionamento do intestino. Estas fibras também aumentam a sensação de saciedade e evitam que você coma mais do que precisa.

Consumir as sementes regularmente pode solucionar problemas de constipação intestinal. Mas não se esqueça de beber bastante água ou você pode agravar o problema. Além disso, a grande concentração de magnésio estimula uma peristalse adequada, que favorecerá o funcionamento regular do intestino.

Nutrientes da semente de abóbora

Vitamina A: fundamental para a saúde dos olhos
Vitamina E: previne o envelhecimento precoce por ter ação antioxidante
Vitaminas do complexo B: principais responsáveis pela manutenção da saúde física e mental
Magnésio: regula as contrações musculares
Zinco: desempenha importante papel no funcionamento do sistema imunológico e no metabolismo das proteínas
Potássio: auxilia no controle da pressão arterial

Fonte: Bolsa de Mulher



segunda-feira, 9 de maio de 2016

Amendoim para perder peso


Seja para acompanhar a cerveja, seja no pé de moleque da festa junina, o amendoim é uma preferência nacional: 75% dos brasileiros costumam comer a leguminosa (sim, ele é um parente do feijão e da soja). Apesar de agradar tanto ao paladar verde-amarelo, 63% dos entrevistados desconhecem as propriedades nutricionais da semente e 12% acreditam que ela é constituída apenas de gordura e colesterol ruim.

Mas estudos comprovam: embora bastante calórico, o amendoim é um aliado da boa forma. Um de seus principais predicados é promover a sensação de barriga cheia. Ele precisa ser muito mastigado, o que ativa o centro cerebral que controla nossa saciedade e faz com que a fome demore mais para aparecer. Além disso, é fonte de fibras, que demoram mais tempo para ser digeridas, prolongando esse efeito. Se comermos 30 gramas de amendoim no lanche da tarde, ele garante uma saciedade de até duas horas, inibindo o consumo de opções até mais engordativas e provavelmente pouco nutritivas.

Além disso, o amendoim dá uma acelerada de 11% no metabolismo. Na prática, isso quer dizer que seu corpo gasta energia mais rápido, e isso está ligado diretamente ao emagrecimento. Mas, vale o alerta: é preciso ter autocontrole para não fugir da recomendação de 30 gramas diários, o equivalente a uma mão fechada. Do contrário, o auxílio vira sabotagem.

Evite, por exemplo, as versões industrializadas, aquelas coloridas e com cascas bonitas, pois elas são cheias de sódio. Essas pitadas a mais do ingrediente fazem o risco de doenças cardiovasculares, como a pressão alta, disparar. É importante também se atentar à quantidade. Para fugir das armadilhas, é só torrá-lo em casa. Compre o amendoim cru e asse 10 minutos no forno. Depois é só retirar a casca, que se solta com facilidade.

Atenção à mesa  

Nem todas as formas de consumo do amendoim freiam o ponteiro da balança. Conheça as mais populares e acerte na hora da compra:

Torrado. Ele preserva todos os nutrientes da leguminosa. 
Paçoca. Na versão tradicional, o açúcar vem em excesso. 
In natura. Liberado! Sua casca vermelha é nutritiva.
Pé de moleque. O caramelo é uma doce armadilha para a dieta. 
Japonês. O alto teor de sódio é seu ponto fraco.

Fonte: Abril Saúde


sexta-feira, 6 de maio de 2016

8 alimentos que emagrecem


Manter o peso ideal é sempre uma árdua tarefa, e toda ajuda é bem-vinda. Por isso, hoje eu selecionei 8 alimentos que vão te ajudar a emagrecer! Confira:

Leite: O CÁLCIO tem, sim, uma conexão com a redução de peso, segundo um estudo da Universidade do Tennessee, nos Estados Unidos, feito com 32 obesos que seguiam dieta por três meses. Um grupo ingeriu até quatro porções de leite desnatado por dia e o outro cortou 500 calorias do cardápio. O primeiro teve melhor resultado: a perda foi de 8,5 quilos em média. O cálcio emite uma mensagem aos adipócitos para eles pararem de armazenar gordura e utilizá-la como fonte de energia. O ideal é consumir mil miligramas de cálcio por dia, ou seja, quatro copos de leite desnatado

Peixe: SARDINHA, salmão e atum ajudam a emagrecer. Um estudo da Seafood Plus, que contou com a participação de cientistas de 17 países, concluiu que acrescentar 150 gramas (ou duas postas) desses peixes à dieta, três vezes por semana, ao longo de dois meses, pode promover uma perda de até 4,5 quilos em mulheres. O alimento contém proteínas de alto valor biológico, que estimulam a saciedade, além de ácidos graxos essenciais, que potencializam a queima calórica e dificultam o acúmulo de gordura.

Nozes: AS OLEAGINOSAS, frutas conhecidas pelo alto teor de gordura monoinsaturada, entre outros benefícios, prolongam a saciedade – mais precisamente em uma hora e meia, segundo estudo da Universidade Purdue, nos Estados Unidos. Devido ao valor energético (656 calorias em 100 gramas), coma entre seis e sete unidades de nozes sem sal, por dia, distribuídas entre os intervalos das principais refeições.

Amaranto: O GRÃO dos Andes, usado como substituto do trigo ou misturado à sopa ou ao suco, é um bom aliado do emagrecimento: 1) um estudo publicado no The Journal of Nutritional Biochemistry, dos Estados Unidos, mostrou que o amaranto reduz a formação e o volume de gordura no abdome; 2) pesquisa do Centro Universitário Vila Velha, no Espírito Santo, verificou que 67% dos voluntários que consumiram cinco biscoitos feitos com farinha de amaranto sentiram menos fome à noite. A semente é rica em fibras e proteínas de qualidade, comparáveis às do leite e superiores às da soja e do feijão, e o ideal é consumir até 9 colheres (sopa) de amaranto por dia.

Grapefruit: A FRUTA oferece 94 calorias por unidade e uma bela dose de vitaminas do complexo B, que ajudam o organismo a aproveitar melhor os carboidratos como fonte de energia – quando isso não acontece, o excesso é armazenado em forma de gordura. Estudo publicado no Journal of Medical Food, dos Estados Unidos, com 100 pessoas, apontou uma redução de 1,6 quilo em três meses no grupo que consumiu grapefruit em vez de placebo. Recomenda-se consumir três unidades por dia, uma em cada refeição.

Azeitona: O ÔMEGA 3 é o destaque. Segundo estudo publicado na revista Diabetes Care, da Associação Americana de Diabetes, ele impede o acúmulo de gordura na região abdominal.“A substância auxilia no controle da liberação de insulina no sangue, o que evita os picos de açúcar e, consequentemente, a compulsão alimentar. Para atingir a recomendação diária de ômega 3 somente com azeitonas verdes, seriam necessárias 120 unidades. Como isso não é viável, a médica sugere substituí-las por 1 colher (sopa) de azeite extravirgem (90 calorias) e três azeitonas (15 calorias).

Feijão-branco: A PROTEÍNA faseolamina evita que 15% do carboidrato ingerido seja absorvido pelo organismo. Para isso, o feijão precisa ser transformado em farinha (triturado no processador e peneirado). A Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, ofereceu a farinha a obesos e, oito semanas depois, eles haviam perdido cerca de 1,7 quilo, e a taxa de triglicérides estava três vezes mais baixa. Copie: dilua 1 colher (café) da farinha em um copo de água e tome meia hora antes das refeições.

Pão: O CARBOIDRATO pode ajudar a emagrecer. Consumido com moderação, o pão aumenta os níveis de triptofano no cérebro, substância precursora da serotonina, que, por sua vez, controla a ansiedade e a compulsão. Fique com a versão integral, que, de acordo com cientistas da Universidade de Rhode Island, nos Estados Unidos, ajudou a emagrecer 180 adultos que estavam com sobrepeso em seis meses. O motivo é a grande quantidade de fibras, que confere maior saciedade e previne ataques de gula. Para perder peso, consuma três porções de carboidrato diárias, ou seja, no máximo seis fatias de pão de forma integral light (204 calorias).


Fonte: Cláudia

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Os benefícios da beterraba para a saúde


A beterraba é um alimento muito nutritivo, sendo rico em ferro, além de sódio, magnésio, cálcio, fósforo, fibras e vitaminas A e C. Tudo isso já faz valer a pena o seu consumo para o bem de sua saúde. No entanto, os seus benefícios são extensos.

Este alimento contém ainda ácido fólico, um composto essencial para as gestantes, pois ajuda na boa formação do tubo neural do feto. Recentemente, uma pesquisa feita pela Associação Americana de Hipertensão comprovou que a ingestão de um copo de suco de beterraba por dia foi capaz de baixar a pressão arterial de homens e mulheres com hipertensão.

A substância betalaína contida na beterraba (e que confere a sua cor vermelha escura) é uma das mais importantes do alimento. Esta substância é um ótimo antioxidante natural, agindo contra o envelhecimento celular e reduzindo o risco de alguns tipos de câncer.

Além disso, a vitamina A da beterraba auxilia no bom funcionamento da visão, enquanto as vitaminas do complexo B melhoram o sistema imunológico, assim como a vitamina C que também possui ação antioxidante.

A beterraba é uma boa fonte de açúcar, mas, mesmo quem é diabético pode consumi-la moderadamente: Por seu teor de glicose, deve ser adaptada dentro de um contexto de uma alimentação saudável, porque é rica em fibras que auxiliam no controle glicêmico.

O consumo deste alimento ainda está ligado a um melhor aproveitamento dos músculos por ser uma fonte de energia, além de aumentar a dilatação dos vasos sanguíneos, o que está ligado à melhora do fluxo de sangue e passagem de oxigênio.

Na hora da compra desse alimento, verifique se ele não tem rachaduras e manchas. A beterraba deve ter a intensa e num tamanho pequeno ou médio, esses cuidados garantem melhor preservação dos nutrientes, mais sabor e maciez.

Para preparar o suco e aproveitar seus benefícios, basta bater no liquidificador, uma beterraba grande descascada e picada, com o suco de quatro laranjas, coar e beber em seguida. O suco garante o consumo dos nutrientes da beterraba.


Fonte: Toda Ela

segunda-feira, 2 de maio de 2016

5 benefícios da couve


De vez em quando, todos nós consumimos um pouco de couve. Mas, se realmente soubéssemos como esse alimento é rico em nutrientes, talvez ingeríssemos ainda mais. Outra vantagem é a versatilidade das folhas, que podem ser consumidas cruas, levemente cozidas e ainda ficam deliciosas em sucos e vitaminas.

Então, para que você tenha bons motivos para incluir mais algumas folhinhas de couve na sua alimentação, confira essa lista:

A couve tem mais vitamina C do que uma laranja

Uma xícara de couve picada contém 134% da dose diária recomendada de vitamina C, enquanto uma laranja média tem 113% do que é preciso consumir diariamente. A diferença pode parecer pequena, mas é preciso lembrar que essa quantidade de couve pesa apenas 67 gramas e a laranja soma 131 gramas. Com uma ajudinha da matemática, é possível notar que a couve chega a ter mais de duas vezes a quantidade de vitamina C de uma laranja.

A couve tem gorduras boas

É difícil associarmos legumes e verduras como fontes de gorduras saudáveis. No entanto, a couve representa uma ótima fonte de ácido alfalinolênico (ALA), um ácido graxo ômega-3 que é essencial para a saúde mental, além de agir na diminuição dos riscos de diabetes tipo 2 e melhorar as condições do coração. Cada porção de couve tem 121 mg de ácido alfalinolênico.

A couve é fonte de vitamina A

Além de ser rica em vitamina C, a couve também é uma excelente fonte de vitamina A. Uma porção tem 133% da dose diária recomendada – mais do que qualquer outro vegetal folhoso.

A couve tem mais cálcio do que um copo de leite

Couve e leite não são alimentos semelhantes e têm usos bastante diferentes na cozinha. Mas se você está preocupado com a sua ingestão de cálcio, saiba que vale muito mais a pena ingerir couve do que beber um copo de leite. Uma porção de 100 gramas de couve tem 150 mg do nutriente, enquanto a mesma porção de leite tem 125 mg. Mais uma vez, a diferença é pequena, mas a biodisponibilidade do cálcio na couve é muito maior, o que faz com que o nutriente seja absorvido e aproveitado com mais facilidade pelo organismo.

A couve traz ainda mais benefícios quando combinada com outros alimentos

Além de todos os benefícios que você conferiu acima, a couve ainda é rica em fitonutrientes, como quercetina – que combate inflamações e previne a formação de placas arteriais, e sulforafano – uma importante substância na luta contra o câncer. No entanto, boa parte desses nutrientes tem sua ação potencializada quando são combinados com outros alimentos. Gorduras boas – como o abacate e o azeite de oliva – fazem com que os carotenoides solúveis presentes na couve sejam absorvidos mais facilmente pelo organismo. Segundo o Huffington Post, a acidez do suco de limão também ajuda a fazer com que o ferro presente na couve se torne mais biodisponível.


Fonte: TodaEla