A Medicina Ortomolecular feita da maneira certa!

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Aprenda a se livrar do refrigerante diet


Substituir um refrigerante convencional por sua versão dietética parece uma boa ideia, mas pesquisas mostraram que existe uma conexão entre os refrigerantes zero caloria e o ganho de peso, segundo relatou a revista norte-americana Shape. Além disso, muita gente acaba viciando na bebida.

O sabor adocicado e efervescente é bom, mas não faz bem ao organismo. Embora não tenha calorias ou açúcar, os refrigerantes dietéticos são repletos de produtos químicos, cafeína, adoçantes artificiais, sódio e ácido fosfórico. Por isso, a publicação listou cinco maneiras simples de deixar a dependência de lado. Confira:

Efervescência: substitua o refrigerante por outras bebidas carbonatadas, como água com gás misturada a sucos de fruta naturais. Adicionar fatias de frutas frescas à água com gás também a deixa saborizada sem adicionar calorias.

Ache um substituto para a cafeína: você perde a concentração no meio da tarde e está a fim de cafeína, por isso, seu instinto te leva direto para a máquina de refrigerantes. Ao invés de se jogar nos adoçantes artificiais, prefira outras opções energizantes, como chá verde, vitaminas de frutas etc.

Mude de atitude: é normal achar que trocar o refrigerante convencional pelo dietético vai economizar calorias no cardápio diário, mas também pode trazer problemas, pois pesquisadores da Purdue University descobriram que os consumidores de bebidas diet tendem a aumentar o consumo de calorias em outros alimentos como "compensação".

Se hidrate com água: embora não cause desidratação, quem bebe refrigerante tende a substituir a água pela bebida açucarada. Carregue uma garrafinha recarregável e beba água sempre que consumir outros tipos de líquido para se hidratar.

Não desista: mesmo que seja uma pessoa apaixonada por refrigerantes, não desista de sua saúde. Tente fazer substituições aos poucos e prepare-se para os sintomas da abstinência, que melhoram com o tempo.


Fonte: Terra Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário