A Medicina Ortomolecular feita da maneira certa!

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

As vantagens da mandioca na alimentação


Fonte de fibras e isenta de glúten - qualidade que a faz não pesar tanto na digestão -, a mandioca carrega versatilidade no nome, nas condições de plantio e nas formas de preparo. Dependendo da região, é chamada de aipim, macaxeira, maniva, uaipi ou xagala. Não há tempo ou terra ruim pra ela. "A mandioca é um camelo vegetal", brinca o engenheiro agrônomo Joselito Motta, da Embrapa, fazendo referência ao fato de que a planta cresce em solos pobres e resiste a períodos de seca. Ah, ela ainda é barata: custa em média 2 reais o quilo, 30% a menos que a batata. 

Mandioca X batata

Por falar na sua rival, a mandioca leva certas vantagens. Ela possui maior quantidade de vitaminas A, B1, B2 e C. Fazendo justiça, porém, precisamos avisar que a abundância em energia traz um efeito colateral: 100 gramas de mandioca têm quase três vezes mais calorias que a mesma porção de batata - são 160 calorias contra 58.

Só que isso não deve assustar quem se preocupa com o peso. A composição de carboidratos da raiz faz com que ela prolongue a saciedade. Não por menos, a mandioca costuma ter passe livre em dietas e é indicada a diabéticos. Ao contrário de outras fontes de carboidrato, ela não gera picos de glicemia. Agora, note bem: justamente por ser um reduto desse nutriente, é prudente que ela não seja misturada nas refeições com outros depósitos de carboidrato, como arroz, macarrão...

Alegria dos celíacos

Por ser livre de glúten, a mandioca é queridinha de outra parcela da população, os portadores de doença celíaca (intolerância a glúten) - estima-se que sejam 2 milhões só no Brasil. Graças a seus derivados como a farinha e o polvilho, os celíacos conseguem ampliar o limitado cardápio de quem não pode ingerir a proteína que dá as caras no trigo, por exemplo. A raiz também é uma boa pedida diante de diversos problemas que atrapalham o ganho de nutrientes. Tudo por causa daquele lento processo de absorção dos carboidratos, que dá ao organismo mais tempo para assimilar outros compostos. Na hora de cozinhar a mandioca, uma dica: adicione um fio de óleo na água. Isso auxilia na retenção das vitaminas.

Ao gosto do freguês

Cozida

O tempo no fogão costuma variar dependendo da colheita. Em geral, levam-se 15 minutos em fogo alto com água e um fio de óleo. O segredo para deixá-la macia é mantê-la imersa na água do cozimento até o momento de servir.

Polvilho

Prefira os tipos frescos, menos industrializados, que têm sabor mais marcante. O azedo é usado no pão de queijo e nos sequilhos. O doce é ingrediente da chipa, biscoito da culinária paraguaia.
Tapioca

Priorize a goma fresca para sentir mais o sabor. O importante no preparo é não dourar a tapioca: coloque na frigideira, vire-a e retire imediatamente. Sirva-a branquinha e, no recheio, use a imaginação.

Farinha

Entra na receita de massas e bolos e é a base da tradicional farofa, que vai bem com feijoada e carne de sol. Para prepará-la, é indispensável usar óleo ou manteiga. Então, cuidado com os excessos.


Fonte: M de Mulher

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Controle o apetite com alcachofra


O consumo da alcachofra não é muito comum aqui no Brasil, mas o vegetal é repleto de nutrientes e benefícios para o organismo, entre eles, o controle do apetite e a regulação do colesterol. Confira, a seguir, os seus principais benefícios:

Age contra o colesterol

Ela possui cinarina, uma espécie de ácido que tem ação direta no fígado, ajudando-o a deixar a digestão das gorduras ainda mais eficiente. Como benefício, evita-se que as moléculas de gordura tenham como destino a corrente sanguínea. Outro poderoso aliado contra o colesterol é a inulina, a qual atrai as moléculas de gordura e estimula sua eliminação por meio das fezes.

Controla o apetite

As fibras da alcachofra demoram a ser eliminadas, permanecendo mais tempo no estômago. Por retardar o esvaziamento gástrico, a planta prolonga a sensação de saciedade por mais tempo, espantando a fome fora de hora.

Contribui para afastar a prisão de ventre

Suas fibras dão uma força ao peristaltismo, estimulando a eliminação das fezes. Além disso, elas também protegem a mucosa do intestino e previnem diversas doenças, como por exemplo o câncer de cólon e determinadas inflamações na região do intestino.

Combate a diarreia

Isso graças aos taninos, compostos presentes no metabolismo de alguns vegetais. Ao serem consumidos com proteínas, eles formam complexos que agem contra bactérias e fungos, podendo não apenas driblar a diarreia, como também frear intoxicações alimentares. Para completar, a alcachofra possui uma fibra chamada inulina, que é resistente às ações das enzimas presentes na saliva e no intestino. Por esse motivo, ela chega ao intestino grosso intacta e ajuda a proteger a flora intestinal.

Potencializa a cicatrização

As estrelas aqui também são os taninos, que, em conjunto com as proteínas, formam uma camada protetora sobre os tecidos lesionados. Para intensificar a ação da alcachofra sem prejudicar a saúde, invista no consumo de fontes de proteína que venham acompanhadas de pouca gordura, como leite desnatado e queijo branco.

Grávidas podem consumi-la

Cozida pode ser ingerida com tranquilidade. Entretanto, grávidas estão proibidas de consumir aqueles fitoterápicos à base da planta que são vendidos em farmácias. Essas cápsulas possuem alta concentração de alcachofra e podem prejudicar o processo de formação do bebê.

Melhora no trabalho dos rins

A alcachofra contém baixa quantidade de sódio, mineral que potencializa a retenção de água e provoca inchaço abdominal. Em compensação, a planta possui muito potássio, mineral importante para a regulação hidroeletrolítica. Assim, os rins trabalham melhor e eliminam o excesso de água.


Fonte: Viva Saúde

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Os falsos amigos da dieta


Cuidado: nem tudo o que reluz é ouro. O antigo ditado pode ser muito útil quando estamos falando de dieta. Afinal, é comum optarmos pelo que parece ser menos calórico e mais saudável. Porém, alguns alimentos enganam e o que deveria ser um aliado se torna um vilão. Veja a seguir quatro alimentos que parecem amigos da dieta, mas não são:

Refrigerante zero - Por não ter calorias, as pessoas pensam que podem consumir a vontade, quando na verdade, o refrigerante zero não tem valor nutricional e contém aditivos, gás e corante, que são prejudiciais para qualquer dieta. Além disso, tem mais sódio do que o normal, levando a retenção de líquidos no organismo e, consequentemente, inchaço.

Barras de cereais - Tem recheios e coberturas de chocolate e açúcar que não são aliados das dietas de emagrecimento. Por isso, prefira as sem açúcar e à base de frutas (as chamadas barras de fruta).

Adoçante - É indicado para quem tem restrição, como os diabéticos. Quem não tem diabetes, deve usar com moderação. Prefira substituir o açúcar comum pelo mascavo e opte sempre por bebidas e alimentos que não necessitam de adição de açúcar.

Sopas instantâneas - É muito comum encontrar pessoas que adotam as sopas instantâneas devido à pouca quantidade de calorias. Porém, assim como os refrigerantes, não têm valor nutricional significativo e a quantidade alta de sódio também pode prejudicar a saúde.



Fonte: Vila Mulher

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Salgado maromba: entenda por que o lanche faz sucesso entre as famosas


Fazer dieta pode ser complicado quando você está sempre correndo e não tem tempo para se alimentar direito. Uma receita saborosa, que sacia a fome, nutre e tem poucas calorias vem fazendo a cabeça de celebridades conhecidas pelas belas curvas. Criado pela blogueira Tati Guidi, o salgado maromba virou queridinho de famosas que adotam um treino pesado, como Gracyanne Barbosa e Carol Buffara. A seguir, confira benefícios, dicas de consumo e receita do salgado que é sucesso nas academias do país:

Para emagrecer e manter os músculos

Carregue seu salgado na bolsa e não passe fome na rua. O salgado é uma ótima opção para quem quer emagrecer com saúde, já que apresenta baixo índice glicêmico, ou seja, não estimula o acúmulo de gorduras. O novo salgado também é uma excelente fonte de proteínas, importante para que não haja perda de massa muscular, que gera saciedade e reduz a fome.

Prático e fácil de preparar

Você não gosta de cozinhar? A boa notícia é que o salgado maromba é rápido e fácil de preparar. O alimento também pode ser congelado. Assim, você prepara o suficiente para uma semana e, quando for utilizar, é só colocar no forno ainda congelado, em temperatura mais baixa. O ideal é consumir em até uma semana.

Light, low carb e nutritivo

Apesar do nome, o salgado maromba  não tem nada de bombado. É uma opção de lanche totalmente low carb, ou seja, com baixíssimo teor de carboidratos. As calorias vão depender da escolha dos recheios. A massa para o preparo de uma porção do salgado contém cerca de 120 a 150 calorias. Se você escolher recheios pouco calóricos, como tomate, berinjela, palmito, champignon e espinafre, este valor praticamente não subirá.

Pré ou pós treino

Na dúvida sobre o melhor momento de consumir o salgado maromba? O ideal é consumi-lo entre as principais refeições. É uma opção prática, já que pode ser levado facilmente em um pote pequeno e consumido sem a necessidade de talheres. Eventualmente, ele pode substituir uma grande refeição. Neste caso,  opte por uma proteína como recheio, como frango ou atum e, se possível, consuma também uma sopa feitas de vegetais, como folhas verdes, berinjela, brócolis, couve-flor ou espinafre, que aumentam ainda mais a quantidade de fibras e micronutrientes da refeição. Como lanche pré-treino, consuma o salgado maromba cerca de 1h40 antes da atividade física, acompanhado de uma fruta. 


Fonte: GNT (com minha consultoria)

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Tapioca: quatro motivos para incluir o alimento na sua rotina


Fazer substituições inteligentes faz parte de uma alimentação saudável. A tapioca é versátil e pode ser amiga da dieta também. Uma colher de sopa do alimento possui apenas 70 calorias. A seguir, confira quatro ótimos motivos para inserir já a tapioca na sua rotina alimentar.

1 - Não contém glúten
A tapioca não possui a gliadina, uma proteína presente no glúten que colabora para o aumento da inflamação do organismo e da gordura abdominal. O alimento também pode ser consumido por diabéticos.

2 - Substitui o pão branco
Para um café da manhã light, substitua o pão branco por tapioca. O alimento pode ser consumido todos os dias, sem contraindicações. Vale lembrar que o pão branco é proveniente de uma farinha refinada, pobre em nutrientes (vitaminas e minerais). Ele ainda contém glúten, rico em proteínas que não são digeridas pelo intestino. 

3 - Amiga da dieta
Pouco calórica, a tapioca é uma opção saudável quando combinada a recheios e acompanhamentos que seguem a dieta. Acrescente um ovo mexido, pasta de humus com páprica e um fio de azeite com orégano. Se preferir um alimento doce, escolha geleia sem adição de açúcar.

4 - Prática e versátil
A tapioca pode ser preparada em formato de panqueca e até pizza. Esta última opção é excelente para o jantar. Basta substituir a massa tradicional, regar com molho de tomate, acrescentar mussarela de búfala e manjericão. Para uma tapioca nutritiva, acrescente de sementes de chia à sua preparação.


Fonte: GNT

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Minha opinião sobre a dieta sem glúten


Quando digitamos o verbo “emagrecer” na busca do Google, sabe quantos resultados aparecem? Mais de 5 milhões. Sem contar todas as suas variações, como a palavra “emagrecimento” ou frases como “emagreci comendo”. Esta procura por métodos milagrosos para perder peso é incessante e a última novidade é a Dieta Isenta de Glúten que consiste em, como o nome já diz, retirar totalmente o glúten da alimentação.

Então, isso funciona?

A princípio, o único problema que realmente exige a restrição do glúten é a doença celíaca, causada por uma proteína encontrada no trigo. Não há nenhuma garantia de que ao cortar o glúten, há uma perda de peso, mas se minimizamos o seu consumo, presente em muitas fontes de carboidratos, haverá redução de colorias e, consequentemente, de peso. No entanto, estudos ainda não comprovam a validade dessa dieta; e por mais que, a princípio, não apresente nenhum risco, é necessária a avaliação e acompanhamento de um profissional, e manter um plano alimentar balanceado.


Para quem deseja seguir a dieta, e nunca teve problemas com o consumo de glúten, o fundamental para a manutenção da saúde é ter uma dieta balanceada através da ingestão de nutrientes. Pode-se fazer uma retirada por um determinado período e depois reintroduzir na dieta. Enfim, a avaliação profissional para os objetivos, ou possíveis sintomas, é fundamental para o consumo ou corte do glúten.

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Novo inibidor de apetite: Lorcaserina


Depois de 13 anos, a Locaserina foi o primeiro medicamento inibidor de apetite autorizado pela FDA, Food and Drug Administration, órgão regulador de alimentos e medicamentos dos EUA. A liberação aconteceu em 2012. Agora, chegou a vez do Brasil, a Anvisa autoriza a sua comercialização em território nacional. A substância inibe o apetite, funciona como termogênico, acelera o metabolismo e tem ótimos resultados no emagrecimento; mas, com uma vantagem, não apresenta os efeitos colaterais de substâncias anteriores, como Femproporex e Anfepramona – retiradas do mercado pela agência brasileira.

A Locarseina age no sistema nervoso central como agonista, uma espécie de ponte, junto ao receptor 5-HT2c, um dos hormônios da serotonina, responsável pela saciedade. Além do controle do peso, a nova substância apresenta outros benefícios. O medicamento age, também, no controle da pressão arterial, do colesterol total, das triglicérides, da glicemia de jejum, da insulina, da frequência cardíaca e, até, no tratamento contra a dependência da nicotina.

Estudos mostram que, felizmente, não foram observados efeitos colaterais graves com o uso da Lorcaserina. Mas atenção: a Lorcaserina só pode ser comprada com receita; e, neste caso, o acompanhamento e a prescrição médica são indispensáveis.