A Medicina Ortomolecular feita da maneira certa!

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Terapia antienvelhecimento com hormônios bioidênticos



Não adianta fugir. Existe um momento na vida de todo mundo em que o passar dos anos começa a surtir efeito. Todos nós, homens ou mulheres, ainda vamos apresentar ruguinhas indesejáveis. As mulheres sofrem como o climatério (período que antecede a menopausa, a última menstruação) e chega junto com efeitos bastante desagradáveis, tais como alguns quilos a mais, sensação de desconforto, calor intenso, perda do desejo sexual, depressão e outros. 

Mas agora, com a modulação hormonal, é possível adquirir desejo de novos projetos de vida, ânimo e aumentar o desempenho cognitivo e sexual com os hormônios bioidênticos. 

O que são os hormônios bioidênticos?

São hormônios que têm exatamente a mesma estrutura química e molecular encontrada nos hormônios produzidos pelo nosso organismo, apesar de serem fabricados em laboratório. O termo bioidêntico é utilizado para preparações que contêm os hormônios estrona, estriol, progesterona, testosterona, melatonina, tiroxina, o hormônio do crescimento humano recombinante e outros tantos. Não se trata de cópias, eles são idênticos e, por isso, não produzem efeitos colaterais. Essa manipulação idêntica foi tão importante à comunidade científica que rendeu ao cientista dos Estados Unidos Louis Ignarro o Prêmio Nobel de Medicina em 1998.

O nosso organismo foi programado para funcionar plenamente até os 30 anos, depois começam as quedas hormonais e o envelhecimento. Os bioidênticos corrigem tranquilamente essas pausas e amenizam os efeitos da velhice. Quem se trata com esse hormônio tem mais energia, consegue corrigir as rugas de dentro para fora e também recupera a beleza e o frescor da pele, além da alegria de viver. 

Para começar o uso dos hormônios bioidênticos, deve-se primeiro fazer exames das taxas hormonais com um médico, que irá indicar se você precisa dos hormônios e receitar a quantidade correta.

Fonte: Minha Vida

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Xô gripe! Alimentação equilibrada é arma contra doenças de inverno



Se você é daqueles que com a chegada do outono e inverno vive desenvolvendo infecções e está permanentemente refém de gripes e resfriados, cuidado: parte do problema pode estar na sua alimentação. Com a chegada do frio é comum haver queda nas defesas do organismo, que gasta mais energia para se manter aquecido. As mucosas ficam ressecadas e o conjunto desses fatores favorece os males da estação. A boa notícia é que em vez de se entupir de remédios é possível encontrar a cura dentro de casa, ou melhor, na cozinha.

A alimentação saudável - com vitaminas, minerais e antioxidantes - fortalece o sistema imunológico, que está permanentemente em contato com vírus e bactérias. Cabe a ele, que é a "tropa de choque" do organismo, eliminar os patogênicos (que provocam doenças) e permitir apenas a presença dos inofensivos. Já está com alguns sintomas? Os alimentos certos também podem ajudar.

Para fortalecer o sistema imunológico, alguns ingredientes não podem ser esquecidos. O própolis, por exemplo, possui ação antiinflamatória, anestésica, antifúngica e cicatrizante. Além disso, auxilia no equilíbrio do aparelho respiratório. O gengibre ativa as células de defesa do organismo e a noz moscada reduz inflamação e dor. Beber bastante água, sucos e chás quentes é imprescindível.

Lembrando que a água evita desidratação e ajuda o corpo a reagir em caso de febre. Previne o ressecamento de nariz e garganta, favorece o amolecimento do muco e facilita a eliminação de secreções. Bom é consumir chá com ervas ou plantas como salsa, malva, eucalipto, gengibre e guaco. Servem ainda para inalações e gargarejo.

Fonte: Terra (com minha consultoria)

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Perca a vontade de comer guloseimas com Slendesta



Parece que o mundo todo conspira contra quando você está de dieta! Tem sempre alguém oferecendo um chocolate, um pedaço de bolo... Aí, pronto: o desejo de emagrecer cede a outros desejos... A verdade é que quase todo mundo comete o pecado da gula, gordinhas e magrinhas. Se a vontade de comer sumisse, seria mais fácil conter o impulso de atacar a geladeira?


Se sua resposta a essa pergunta for positiva, experimente investir na Slendesta, uma pílula natural que corta a vontade de comer. Ela aumenta a liberação de uma substância que promove a sensação de saciedade.
Feita através de uma proteína presente na batata, a Slendesta aumenta a produção de colecistoquinina, uma substância que age no estômago, retardando seu esvaziamento. É como se a pílula desligasse o botãozinho da fome. O cérebro entende a mensagem de que você está satisfeita e sua fome diminui em 30%.
Além disso, ela:
·        Reduz a ingestão de calorias 
·        É uma grande aliada no processo de emagrecimento 
·        Ajuda a controlar o peso 
·        Reduz as medidas da cintura e dos quadris
A Slendesta é encontrada em forma de cápsulas, que são vendidas em farmácias de manipulação sob recomendação médica (receita). O medicamento não é recomendável para grávidas ou quem está amamentando.
Fonte: Bolsa de Mulher

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Saiba se você tem intolerância alimentar



Se estes sintomas se repetirem toda vez que você come algum alimento, pode ser indício de intolerância ou de alergia. É o seu caso? Consulte um médico!

- Gases
- Diarreia
- Aumento de secreção no nariz
- Dor de cabeça
- Dificuldade para respirar
- Inchaço abdominal
- Problemas digestivos

É mais comum ter intolerâncias a:

Lactose

A reação se manifesta quando o corpo tem deficiência na produção da enzima lactase, que digere a lactose (o açúcar do leite). Pode causar diarreia, gases, cólicas, dores de cabeça e aumento da secreção do nariz. O jeito é ficar longe de leite e derivados. Ou tomar, sob recomendação médica, lactase em cápsulas (importada).

Glúten

Quando o corpo entende que o glúten (proteína presente no trigo, malte, cevada e centeio) é um inimigo, ativa o sistema de defesa contra ele. As consequências da doença celíaca (como é chamado o problema) são diarreia, anemia e problemas digestivos. "O consumo do glúten por celíacos pode causar até câncer de intestino", alerta a nutricionista Priscilla Kakitsuka. A saída é conferir o rótulo dos alimentos antes de comprar.

Corantes e conservantes

Ao entrar em contato com esses aditivos, a defesa de quem tem intolerância a eles entra em ação. A pessoa tem sintomas como diarreia, cólicas e gases. Além dos corantes, as substâncias que causam mais estrago são aspartame, nitratos, nitritos e glutamato monossódico. A solução é não chegar perto deles.


Intolerância ou alergia?

Alergia alimentar

O organismo acha que uma substância é "invasora" e produz anticorpos contra ela, gerando um processo inflamatório. Amendoim e frutos do mar são alergênicos muito comuns.

Intolerância alimentar

Ocorre quando o corpo tem dificuldades para digerir alguma substância presente nos alimentos. Entre os principais vilões estão glúten, conservantes, corantes e lactose.

Você já ouviu falar em fenilcetonúria?

A fenilcetonúria é uma alteração genética que pode ser identificada pelo teste do pezinho. Ela impede que o organismo absorva o aminoácido fenilalanina, presente nas proteínas de vegetais (como feijão e arroz) e de animais (como leite - inclusive o materno - e seus derivados) e no adoçante de aspartame. Pode causar danos cerebrais irreversíveis se não for descoberta cedo. Por isso, é muito importante fazer o teste na maternidade. Acesse o site da Anvisa para saber quais são os alimentos que mais contêm a substância: http://abr.io/fenilcetonuria

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Fuja dos alimentos que aumentam o volume da barriga



A origem de uma barriga saliente tem diversas causas, como herança genética, alteração hormonal, retenção de líquido, excesso de peso e até má postura. Uma conjunção inadequada de alimentos também pode levar à distensão abdominal. Fuja dos que podem formar gases, como feijão, frituras, pães, enlatados, comida gordurosa e com excesso de sal, ensina Paula Cabral. Conheça os alimentos proibidos:

Pão branco e massas

Feitos com a farinha refinada, fornecem um carboidrato que leva à fermentação e produção de gases, provocando a distensão abdominal. Procure consumir pães e massas integrais, ricos em fibras.

Açúcar

A sacarose propicia o desequilíbrio da flora intestinal, fazendo que as bactérias benéficas diminuam e as prejudiciais proliferem, podendo levar à distensão. O excesso de açúcar também se transforma em energia de reserva e aumenta a quantidade de gordura abdominal. Controle o uso indiscriminado dele e, aos poucos, descubra como os alimentos têm um sabor natural agradável ou faça uso de adoçante à base de aspartame.

Bebida alcoólica

Aumenta a permeabilidade da mucosa do intestino, provocando o desequilíbrio da flora intestinal, o que pode levar ao aumento do volume abdominal.

Refrigerante

A quantidade de gás e açúcar ajuda a estufar a barriga. Prefira sucos de frutas naturais.

Feijão

Alguns carboidratos presentes no grão escapam da digestão e são metabolizados pelas bactérias presentes na parte baixa do trato digestório, podendo causar gases e flatulência. Mas eliminar totalmente o alimento da dieta não é uma boa opção, devido ao seu grande valor nutricional. Portanto, consuma moderadamente.

Repolho e Couve-flor

Esses vegetais são da família das brássicas, na qual estão presentes compostos sulfurados capazes de aumentar a produção de gases.

Laticínios

Para quem tem intolerância à lactose, o consumo pode gerar flatulência e diarreia.Escolha leite de cereais à base de quinoa e arroz; leite de sementes como gergelim e girassol; e de oleaginosas à base de amêndoas, castanha-do-pará e extrato de soja.

Produtos industrializados

Biscoito, refrigerante, macarrão pronto e embutidos contêm substâncias químicas capazes de sobrecarregar o fígado e a vesícula. Isso aumenta as chances de armazenar gordura, principalmente no abdome, pois nesta região temos mais receptores de insulina(que dão o comando para este armazenamento indesejado). Opte por frutas e alimentos naturais, integrais, sem corantes ou conservantes.

Fonte: Corpo a corpo

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Três erros cometidos pela manhã que retardam o metabolismo



O ritmo do seu metabolismo é afetado por vários fatores: idade, peso e genética. Embora você não possa fazer algo para mudar todas essas questões, existem alguns hábitos que prejudicam ainda mais a perda de peso. E isso é tudo o que você não quer, certo? Então, evite as atitudes abaixo e dê uma acelerada na dieta. 

1. Pular o café da manhã (ou tomá-lo muito tarde) 

Um estudo realizado pela instituição britânica Imperial College London indicou que pular o café da manhã faz o cérebro escolher alimentos mais gordurosos ao longo do dia. Na pesquisa também foi observado que as pessoas que não fizeram a refeição de forma adequada ou começaram o dia em jejum ingeriram 20% a mais de calorias no almoço. Tomar o café da manhã mantém os níveis de glicose sanguínea sob controle e evita os ataques à geladeira.

Além disso, saiba que pular essa refeição não garante economia calórica. De estômago vazio você não terá energia para realizar as atividades diárias. Dessa maneira, o corpo passa a trabalhar no modo econômico e, com a redução das atividades, gastará menos calorias. Resultado: você come pouco, mas gasta menos calorias.

2. Não praticar atividade física 

De acordo com os pesquisadores, a queima calórica no período da manhã é maior do que em outros horários do dia. Praticar uma atividade física logo cedo traz mais disposição para a sua rotina. Além disso, a recuperação após o treino tende a ser melhor quando você malha nesse período, pois as refeições ao longo do dia auxiliam na recuperação muscular e nos estoques de glicogênio. 

3. Excluir a musculação do treino 

Os exercícios com carga são importantes para perder gordura e fundamentais para você continuar magra. Para ter uma ideia, dois quilos a mais de massa muscular faz com que o organismo consuma 30 calorias a mais por dia. O único pré-requisito para fazer musculação no período da manhã é fazer uma refeição equilibrada para garantir energia suficiente na hora do treino. Com o organismo abastecido, você não tira energia dos músculos. Mas a atividade tem que ser um hábito. Depois dos 40 anos começa o declínio de massa magra, que pode chegar a 50% do total de músculos na terceira idade.

Fonte: Boa Forma

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Perca a vontade de comer doces e emagreça com as cápsulas de Koubo



A alimentação saudável continua sendo o primeiro passo para conquistar o tão desejado peso ideal. Mas é claro que uma ajudinha (saudável!) faz bem, com os fitoterápicos. A dica de hoje são as cápsulas de Koubo, uma planta do deserto com ação na redução do apetite e, que consequentemente, auxilia no controle de peso corporal em dietas de emagrecimento de baixas calorias. Além de ter ação diurética, reduz consideravelmente a vontade de comer doces.

O Koubo contém Proteínas, Fibras, Vitamina C, Omega 3 e Omega 6 (diminuem a taxa de colesterol ruim) e aminoácidos naturais da planta (aumenta a reserva energética), além da betalaina e indicaxantina, elementos que têm como objetivo promover o aumento da diurese, eliminando excesso de líquidos e toxinas. Também apresenta outras substâncias responsáveis pela ação moderadora do apetite e redutora de gorduras, que atuam estimulando o organismo para liberar mais insulina à célula, sendo esta sua principal ação e responsável pela sensação de saciedade.

Um estudo clínico para comprovação da eficácia do koubo como um emagrecedor fitoterápico de sucesso, foi realizado com 65 indivíduos do sexo masculino e feminino por um perído de 90 dias. Os resultados demonstram que o insumo fitoterápico Koubo acelera o emagrecimento com maior efetividade, tornando a redução de peso eficaz, rápida e segura.

A dose aconselhada é de duas cápsulas por dia, antes do almoço e do jantar. Devido a sua propriedade hiperglicemiante, Koubo não deve ser usado por diabéticos. Também não é recomendada para mulheres com síndrome de ovários policísticos.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Conquiste uma barriga sequinha com o extrato de lichia





Uma frutinha de origem chinesa vem encantando os brasileiros: é a lichia, que chegou aos poucos no país e já pode ser encontrada nos supermercados. Mas você sabia que além de gostosa, ela também te ajuda a emagrecer?

A primeira vantagem dessa fruta é a quantidade de calorias: apenas 6! Isto quer dizer que, se você comer dez unidades da fruta, consegue queimar as calorias obtidas somente arrumando a cama, por exemplo.

Mas além das calorias baixíssimas, a lichia é rica em cianidina, uma substância que tem o poder de SECAR A GORDURA abdominal. É isso mesmo! Um estudo em uma universidade do Japão constatou que os voluntários que consumiram o extrato da lichia conseguiram, em 10 semanas, eliminar 15% da gordura abdominal a mais do que os voluntários que não consumiram o extrato.

A cianidina é o que dá a cor vermelha à casca da fruta e também . Mas ela também está presente na parte branca que consumimos, a polpa, ainda que em quantidade menor. Por isso, comer algumas lichias por dia (junto com uma alimentação balanceada) ajuda no emagrecimento. Para aproveitar a cianidina presente em maior quantidade na casca, você pode investir nas CÁPSULAS de EXTRATO DE LICHIA, que contém a quantidade diária de cianidina suficiente para reduzir de forma efetiva a gordura abdominal.

Além disso, o extrato de lichia também tem propriedades antioxidantes, pois combina a cianidina (pigmento que combate o envelhecimento precoce) e a vitamina C, que estimula o sistema imunológico, aumenta a resistência à infecções e ainda tem efeito anti-envelhecimento.

A lichia também é fonte de potássio, mineral também presente na banana que previne cãibras, equilibra a quantidade de água no organismo, auxilia a função renal, entre vários outros benefícios!